InícioEconomiaPESQUISA APONTA SEMESTRE PERDIDO PARA AS MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS DO ESTADO...

PESQUISA APONTA SEMESTRE PERDIDO PARA AS MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO

- continua após a publicidade -

A 64ª rodada do Indicador de Atividade da Micro e Pequena Indústria de São Paulo, encomendado pelo Sindicato da Micro e Pequena Indústria (Simpi) ao Datafolha, revela o mês de junho como o pior desempenho das MPI’s no ano de 2018, refletindo num semestre negativo para a categoria.

A pesquisa aponta que apenas 10% dos micro e pequenos empresários fizeram consulta por empréstimo ou financiamento, fixando o indicador de junho como o pior desde agosto do ano passado. Os dados ainda deflagram uma alta taxa de insucesso, como revela o gráfico a seguir: (imagem disponível para download no fim do e-mail)

Entre os 10% dos empresários que consultaram as linhas de empréstimo e financiamento no mês de junho, mais da metade não obtiveram sucesso, cerca de 6,4%. Dos 10%, cerca de 21% dos empresários não conseguiram sequer uma resposta. E para quase metade 43% a resposta foi ‘não’. Os dirigentes das MPI’s que conseguiram o acesso ao crédito representam apenas 1/3 dos pedidos de crédito, 36%.

A taxa de juros segue como a principal queixa dos empresários para a obtenção de crédito, já que 43% dos dirigentes das micro e pequenas indústrias a consideram como a principal dificuldade para a obtenção de empréstimo ou financiamento.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

No mês de junho apenas 2% dos empresários afirmam ter capital de giro mais do que suficiente, este percentual é o pior desde setembro de 2016. E para mais da metade das empresas (56%), o capital de giro está em nível insuficiente.

O nível de inadimplência, que registrou 37% nos meses de abril e maio, subiu para 42% em junho. 12% confirmam terem deixado de pagar algum fornecedor; 4% utilizaram empréstimo para ter capital de giro, sendo que destes, 5% usaram a concessão para pagar despesas. Todos esses indicativos são maiores do que em relação ao mês anterior.

Segundo o estudo, 46% dos dirigentes das MPI’s estão sinalizando uma alta significativa nos custos de produção. Mais uma vez, o destaque nas altas se deu pelo item matéria-prima e insumos, representando 36% das respostas.

A pesquisa afirma que os números negativos da categoria refletem a expectativa econômica que não veio. Os dados revelam um aumento nas demissões, na inadimplência e nos custos de produção.

Índice de Demissões é o mais alto

O Índice de Demissões aponta que neste mês de junho os empresários passaram a demitir mais, configurando o pior índice desde março de 2017. O Índice de Contratação e Demissão das MPI’s, que mede o nível de emprego das micro e pequenas indústrias, teve piora acentuada. Em maio deste ano, o nível era de 96 pontos, ante 84 pontos no mês de junho; sendo o pior desde março de 2017.

O sentimento de crise após a greve dos caminhoneiros

No último trimestre, de abril até junho, subiu de 55% para 69% a percepção de que a crise econômica segue afetando muito os negócios. Segundo os dirigentes das micro e pequenas indústrias, ainda não há previsão para retomada do crescimento da economia. Em maio, o índice era de 65%. A ampla maioria dos empresários, cerca de 90%, afirmam que a crise econômica continua afetando seus negócios e temem que a crise possa colocar o futuro das empresas em risco.

Segundo o presidente do Simpi, Joseph Couri, o último mês do semestre foi um conjunto de frustrações. “No balanço semestral, nós não avançamos nada em relação ao semestre do ano passado. O segundo trimestre deste ano foi ruim e este mês de junho foi péssimo para a economia das micro e pequenas indústrias, tudo indica um semestre perdido”, pontua.

Para fechar o balanço econômico negativo do semestre, a pesquisa demonstra, ainda, que a greve dos caminhoneiros em maio afetou diretamente duas em cada três MPI’s. Entre as pequenas empresas, aquelas que contratam de 10 a 50 empregados, 52% declararam terem sido muito afetadas pela paralisação. Para as pequenas indústrias, 64% afirmam uma relação direta de prejuízo entre o faturamento e a greve dos caminhoneiros. Segundo Couri, a greve dos caminhoneiros foi um acontecimento que agravou mais ainda o cenário de prejuízo para os empresários.

A Pesquisa

O Indicador de Atividade da Micro e Pequena Indústria de São Paulo, encomendado pelo Simpi e efetuada pelo Datafolha, é reconhecido como sinalizador de tendência. É importante salientar que 42% das MPIs de todo Brasil estão em de São Paulo.

A íntegra das 64 pesquisas Simpi/Datafolha, desde março de 2013, está disponível no site da entidade (http://www.simpi.org.br).

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Justiça obriga Globo a publicar direito de resposta a Ana Paula Henkel por ofensas proferidas por Walter Casagrande

Casagrande publicou texto alegando que "uma pessoa intragável, prepotente, arrogante, defensora de armas, que se disfarçou de jogadora de vôlei"

Saúde distribui mais 10 milhões de vacinas para todo o país

De acordo com a pasta, serão distribuídas 4,8 milhões de doses da AstraZeneca, 3,3 milhões da Coronavac e 2,1 milhões da Pfizer.

Oportunidade de emprego: Ribeirão Preto tem 330 vagas em diversas áreas

Confira as opções das funções para vagas e formas de entrar em contato com o contratante. Compartilhe e marque amigos que procuram emprego.

Rayssa Leal, a Fadinha, fatura prata no skate street em Tóquio 2020

Com apenas 13 anos atleta é a mais jovem na história a conquistar uma medalha para o país

De virada Fogão vence o Ituano e cola no G-4

Com a vitória, o Pantera chegou a 16 pontos —mesma pontuação do Ituano, quarto colocado
- PUBLICIDADE -