Início Economia Pesquisa ACIRP: 60,4% das empresas podem fechar as portas em até 60...

Pesquisa ACIRP: 60,4% das empresas podem fechar as portas em até 60 dias

Segundo a pesquisa, 39,5%das empresas tiveram que demitir ao menos um trabalhador, 25,6% tiveram que demitir mais de 30 funcionários.#FIQUEEMCASA

- continua após a publicidade -

Uma pesquisa realizada pela ACIRP – Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto, nos dias 14 e 15 de maio, com 306 empresas associadas da entidade, revelou detalhes dos impactos negativos da Covid-19 na economia.

O levantamento traz um dado alarmante: 60,4% das empresas correm o risco de fechar suas portas em até 60 dias.

Quando perguntados quanto tempo conseguiriam manter seu negócio com o faturamento atual, 12,7% dos entrevistados afirmaram que já estão encerrando ou encerrarão suas atividades caso o quadro atual perdure.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Com a manutenção das atuais condições, 28,4% dos empresários afirmaram que conseguem manter suas empresas por mais 30 dias e 19,3% até 60 dias. Dos entrevistados, apenas 10,5% declararam que o faturamento atual lhes permite manter indefinidamente o funcionamento do seu negócio.

foto internet

Outro dado revelado pela pesquisa é a queda no faturamento de 90% das empresas.

Deste universo, mais da metade (53,9%) teve queda superior a 20% nas receitas. Do total de empresas pesquisadas, 40,2% já sentiu redução superior a 40% no faturamento.

Além da queda de receita as empresas enfrentamtambém a dificuldade de obtenção de crédito para honrar seus compromissos.

A pesquisa mostra que dentre as empresas que procuraram instituições financeiras, 58,2% tiveram a solicitação de crédito negada.As principais linhas de financiamento procuradas são relativas a folha de pagamento e fluxo de caixa.

Diante disso, empresas têm postergado e negociado pagamentos. As negociações foram realizadas principalmente com fornecedores, aluguéis e bancos.

Já com relação ao pagamento de obrigações, 59% das empresas afirmaram que deixaram de pagar impostos; 22% não pagaram aluguéis; 27% assumiram dívida com fornecedores e 11% não conseguiram pagar em dia os salários.

foto ebc

Presença digital

A pesquisa revelou também que as empresas buscaram diversificar canais de venda e recebimento de pedidos.

Os principais meios foram o Whatsapp (utilizado por 82% do total de respondentes), o tradicional telefone (ferramenta de 69,3% das empresas) e as redes sociais (49%).

A venda presencial, seguindo as regras sanitárias, foi apontada em 43,1% dos casos. Os piores desempenhos foram com E-Commerce (15,7%) e Marketplace (12,4%).

Também chama atenção o fato de que a maioria das poucas empresas que tiveram aumento de vendas tem forte presença digital, vendendo por e-commerce 14% ou realizando marketing digital. O mesmo acontece com a maioria das empresas que teve menos de 10% de queda nas vendas.

Já como canais de entrega, os respondentes apontaram o atendimento presencial e o delivery próprio como principais ferramentas para seus clientes, com 55,6% (170 respostas) e 48% (149 respostas), respectivamente. Solução para reduz custos com empresas de entregas.

foto internet

Demissões e negociações

O levantamento reforçou os altos índices de demissões nas empresas consultadas.

Segundo a pesquisa, 39,5%das empresas tiveram que demitir ao menos um trabalhador. A compilação de dados mostrou redução de 9,79% do total de vagas nas empresas em comparação com o período pré-pandemia.

Das empresas pesquisadas, 25,6% do total tiveram que demitir mais de 30 funcionários.

Outras medidas já tomadas ou previstas pelas empresas têm sido a concessão de férias, alternativa encontrada por 48,4% dos entrevistados; reduçãode jornada e salários proporcional, opção de 35,9%; home office parcial, 22,2% e divisão das equipes em turnos, adotada por 7,8%.

foto arquivo

Empresários

Outro indicador preocupante é a pequena reserva financeira dos empresários para suas despesas familiares.

Problema grave uma vez que os empresários não possuem benefícios como FGTS e Seguro Desemprego.

Dentre os pesquisados, 40,8% apontaram ter recursos para até 30 dias de despesas familiares enquanto 30,1% afirmaram ter condições financeiras para até 60 dias e 17% até 90 dias. Ou seja, daqui a três meses 87,1% dos empresários não conseguirão pagar suas despesas pessoais.

Sobre a pesquisa

A pesquisa foi realizada pelo Núcleo de Relações Institucionais da ACIRP e enviada por e-mail e grupos de Whatsapp às empresas da Base da entidade, que conta com aproximadamente 5.600 associados, dos quais cerca de 1.300 visualizaram a mensagem e 306 empresas responderam. De acordo com o Portal Empresômetro, Ribeirão Preto possuía em 17/05/2020, 110.293 empresas e segundo pesquisa no Portal do Empreendedor desse total, 48.173 são MEIs – Micro Empreendedores Individuais.

A base ativa de relacionamento da ACIRP se constitui majoritariamente de empresas mais maduras com ao menos cinco anos de funcionamento e dois ou mais empregados, ou seja, o segmento MEI não está significativamente representado na amostra.

Confira a pesquisa: https://cutt.ly/byTq1AP

arquivo

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Ministro da Justiça, I.N de Advocacia, deputados e senadores apresentam repúdio ao ato de censura do STF

O STF na figura do deus todo poderoso Alexandre de Moraes, hoje voltou a praticar censura tão alardeada pela esquerda quando se referia ao Bosolnaro

Covidão vem ai? Desde abril, já foram 16 processos de compras suspensos ou cancelados em Ribeirão Preto

No ano de 2019 todo foram apenas 12 processos cancelados ou suspensos, mas a prefeitura considera normal os casos atuais. Medo?

Confira como serão os critérios da retomada econômica de São Paulo

Doria anuncia 'retomada INTELIGENTE' a partir de 1º de junho, A cidade de Ribeirão Preto se encaixa na fase 2.

deus Alexandre Moraes determina bloqueio das redes sociais de direita

Vários sites e blogs esquerdista foram bancados financeiramente com dinheiro publico e por outras vezes com dinheiro de amigos dos amigos, hoje A PF cumpriu mandados em cinco estados e no DF em uma ação direcionada aos bolsonaristas

Aneel decide que conta de luz não terá taxa extra até dezembro

Medida foi tomada em resposta à crise provocada pela pandemia do coronavírus
- PUBLICIDADE -