InícioEconomiaO fim dos jornais impressos? ‘O Diário’ suspende a circulação

O fim dos jornais impressos? ‘O Diário’ suspende a circulação

- continua após a publicidade -

O jornal ‘O Diário’, fundado há mais de 60 anos, não circulou nos últimos dias e ontem à tarde sua Redação estava fechada. A direção não confirmou se a suspensão é temporária ou definitiva, mas tudo indica que o segundo mais antigo jornal em circu­lação em Ribeirão Preto está fechando as portas. A que provavelmente foi a edição derradeira chegou às bancas na última terça-feira.

A chegada de novas tecnologias atingiu a maioria dos jornais e revistas impressos, não apenas em Ribeirão,mas é um fenômeno mundial.

Fundado em 1955 pelo pio­neiro da imprensa local Costábile Romano, o ‘O Diário’ começou a circular em 19 de junho daquele ano, quando Ribeirão Preto co­memorava 99 anos de fundação. Com um layout arrojado para a época e uma afiada equipe de jornalistas, rapidamente se tor­nou a estrela da imprensa local. A morte repentina de Costábile Romano em um acidente auto­mobilístico, em 1966, fez com que o comando da Redação passasse para seu sobrinho Marcelino Ro­mano Machado.

Nessa época o jornal ‘O Diá­rio’ já era o mais lido, em especial graças a sua cobertura esportiva. As edições de terça-feira, com o noticiário esportivo do final de semana, muitas vezes esgotavam nas bancas antes do meio-dia. A essa altura faziam parte da reda­ção (ou haviam passado por ela) nomes de expressão como Lu­ciano Lepera, Julio Chiavenato, Marcial Fernandes, Afonso Dias, Jarbas Cunha, Antonio Claret e Ettore Gianconi, entre outros.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

A melhor fase do ‘O Diário’ ocorreu em meados dos anos 70. No início de 1974, o processo de modernização da redação do jornal ‘O Diário’ ganha um gran­de impulso com a montagem de uma oficina de clichês e a chega­da de dois jornalistas de destaque da imprensa brasileira – José Ha­milton Ribeiro e Sérgio de Souza. No final da década de 70, a tira­gem dominical ultrapassava com frequência os 10.000 exemplares.

Nos anos seguintes, a redação cresce com a chegada de jovens que sob o comando de Zé Ha­milton e Sérgio de Souza formam uma das melhores gerações de jornalistas da cidade, como João Garcia, Rosana Zaidan, Sidney Quartier, Luiz Augusto Michela­zzo e Victor Cervi, entre outros.

Em 1985, após 30 anos sob o comando da família Romano, o jornal ‘O Diário’ muda de dono.
O então deputado Marcelino Romano Machado vende o ‘O Diário’ para o jornalista Jubayr Ubiratan Bispo.
Na segunda me­tade dos anos 80 o jornal ainda tem uma boa fase, com o lança­mento de suplementos como ‘O Diário Automóvel’ e ‘O Diário Caminhão’. Mas já a partir da década de 90 as dificuldades fi­nanceiras afetaram drasticamen­te a qualidade do matutino. Nos últimos anos, ações trabalhistas movidas por ex-funcionários le­varam à penhora da impressora e, mais recentemente, das contas do jornal em duas instituições financeiras. E a morte de Jubayr Ubirantan Bispo, no último mês de abril, parece ter sido o inicio do fim de uma das mais dura­douras trajetórias de um jornal em Ribeirão Preto.

O jornal por mais de quatro séculos fez parte e ajudou no desenvolvimento dasociedade humana, como meio de comunicação, o jornal foi um importante transmissor de informações sendo indispensável para aqueles que queriam se manter atualizados das principais noticias locais, nacionais e mundiais, a partir da década de 90 começa a virar um meio de uma elite culta em contraposição a surgimentos de jornais mais populares e baratos.

A internet com sua permissão à interatividade acelerou ainda mais este desejodas pessoas de montarem seu próprio conteúdo, se antigamente os publicitáriosarrancavam os cabelos com o controle remoto, na medida em que os telespectadoresmudavam de canal na hora dos comerciais, mesmo sendo a possibilidade deleencontrarem outros comerciais na estação que ele parasse, hoje o telespectador simplesmente monta seu conteúdo, excluindo obviamente as propagandas que sempre são vista como indesejadas. Aqui, fala-se, sobre a capacidade de personalização nuncavista antes, proporcionada pela internet.

As informações tendem a se tornarem cada vez mais específicas e com a ajudadas novas tecnologias, tende a chegar cada vez mais perto de seu público-alvo.

Com informações parciais de Tribuna Ribeirão

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

O fundo do posso sem fundo: Fiocruz indica atenção com dengue

Períodos chuvosos atrelados ao calor são favoráveis à proliferação do Aedes aegypti, que é também transmissor do vírus da zika e chikungunya.

Mãe do presidente Jair Bolsonaro morre aos 94 anos

De Uma família humilde do interior de São Paulo, dona Olinda, partiu mas pode ver os feitos do filho. Nossos sentimentos ao @jairmessias.bolsonaro

Coronavac é liberada e SP confirma dose para crianças em até 3 semanas

Eles garantem que o medicamento é seguro, e casos de mortes não são relacionados com a picada salvadora. Se ele garante nós acreditamos na ciência.

Criança de 10 anos infartou depois da picada mas o motivo não foi a vacina

Prefeitura diz que criança teve parada cardíaca após vacina, mas estado rapidamente concluiu que criança tinha doença rara no coração que os pais não sabiam. E nós acreditamos no trancarua

Nogueira esqueceu? Site e redes sociais da prefeitura não fizeram qualquer menção a data

Prefeitura não programou qualquer evento, não fez menção a data, simplesmente não lembraram a data.
- PUBLICIDADE -