Início Economia Negocio entre Passaredo e Itapemirim esta cancelado

Negocio entre Passaredo e Itapemirim esta cancelado

- continua após a publicidade -

Em nota nesta Segunda-feira (11), A Passaredo Transportes Aéreos S.A. anuncia que a transação envolvendo a transferência de seu controle societário não se efetivou.

Diante do não cumprimento das condições precedentes estabelecidas em contrato, os compradores foram notificados pela Passaredo na data de hoje 11 de setembro de 2017, sobre o encerramento formal do negócio.

A Passaredo continuará suas operações com o atual quadro societário, mantendo-se a estratégia de atuação no segmento da aviação regional, focado na reestruturação de sua frota operacional, no atendimento a novos mercados e nos acordos de codeshare e interline vigentes.

Na época do anuncio do negocio a empresa Itapemirim que atua em 22 estados e conta com 1,2 mil ônibus, prometeu uma rápida expansão, para 80 os destinos aéreos no interior do país e adquirir 20 novas aeronaves até o final do próximo ano.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Bolsonaro entrega à Câmara projeto para privatização dos Correios

Cabide de emprego, serviço prestado ruim e caro, os correios tem um custo muito alto para o contribuinte. O que o mercado precisa é de concorrência.

Um milagre praticamente acabou com a dengue em Ribeirão Preto

É para dar gloria a Deus de pé igreja, em janeiro, foram confirmados apenas três casos de dengue, uma queda de 99,9%

Ribeirão Preto receberá segunda unidade do Bom Prato

Equipamento será instalado na região do Hospital das Clínicas e terá capacidade para servir 1.400 refeições e 300 cafés da manhã por dia

Banha ou óleo de soja qual é mais saudável?

Quanto mais se estuda sobre a gordura animal, mais se confirma que nossos pais e avós estavam certos quando cozinhavam com a banha de porco.

Conforme publicamos mais cedo, Ditadoria implanta toque de recolher

Ficam proibidas inclusive reuniões sociais em residências, colocando forças policiais para atuar.
- PUBLICIDADE -