Início Economia Aumento de ICMS em São Paulo começa a valer nesta sexta (15)

Aumento de ICMS em São Paulo começa a valer nesta sexta (15)

Para ajustar as contas do Estado de São Paulo em função da pandemia, o governo de João Dória já elegeu quem pagará as contas: os contribuintes e empresários.

- continua após a publicidade -

A Secretaria da Fazenda do Estado publicou alguns ajustes que implicarão no aumento da ICMS para diversos setores e esses passarão a valer a partir de amanhã, dia 15 de janeiro. Governo prometeu alterações tirando itens, mas nada foi publicado.

Serão centenas de setores impactados com esse aumento do ICMS que chega a até 207% (veículos usados). Recentemente, o governo afirmou que iria revogar o aumento de medicamentos genéricos, alimentos e produtos agrícolas, contudo, até a véspera da entrada em vigor dos decretos, nada havia sido publicado alterando essas mudanças.

Veja alguns dos setores que serão impactados: alimentos, refeições, veículos novos e usados, TVs por assinatura, móveis, saúde e construção. E, segundo o diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil, Richard Domingos, é certo que esse aumento será repassado aos consumidores.

Para entender melhor: em 16 de outubro de 2020 o Estado de São Paulo publicou diversas normas alterando a legislação do ICMS, com a finalidade de aumentar a arrecadação. São medidas de ajuste fiscal e equilíbrio das contas públicas, em face da pandemia do Covid-19.

“Os decretos 65.252/2020, 65.253/2020, 65.254/2020 e 65.255/2020 têm a finalidade de aumentar a arrecadação de impostos, para superar o rombo ocasionado pela crise. São medidas de ajuste fiscal para equilíbrio das contas públicas, em face da pandemia do Covid-19. Contudo, existem vários desses decretos que representarão aumentos desse tributo, complicando ainda mais as finanças das empresas”, explica o diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Dentro das ações previstas pelos decretos estão prorrogação para até 31 de dezembro de 2022 do prazo final de determinados benefícios, a redução do percentual de alguns benefícios, aumento das alíquotas com mercadorias por dois anos, entre outros assuntos.

“Com a mudança, a partir de janeiro, as alíquotas do ICMS desses produtos terão consideráveis elevações, tornando ainda mais pesadas cargas tributárias. Em situação de crise isso se mostra um novo complicador. Outro ponto é que certamente em muitos casos os referidos estabelecimentos repassarão esse aumento para o consumidor, encarecendo os preços desses produtos e serviços”, analisa Richard Domingos Essa majoração está prevista para vigorar por dois anos, ou seja, até 15 de janeiro de 2023, segundo os decretos, restando saber se daqui dois anos o governo vai publicar novo decreto restabelecendo as alíquotas anteriores, fato que ainda é incerto

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

‘PESSOAS VÃO MORRER DE FOME COM LOCKDOWN,’ DIZ SECRETÁRIO DE DORIA

Jean Gorinchteyn afirmou em entrevista, que é contra a decretação do “lockdown” em todo o Brasil como tentativa de conter o avanço da Covid-19.

Ribeirão Preto: Algumas lutas fazem um mundo melhor!

Neste Dia Internacional da Mulher, o Banco de Sangue de Ribeirão Preto celebra com todas as mulheres as conquistas alcançadas

Todo sofrimento do torcedor voltou em 2021. Botafogo perde em casa

O Pantera volta a campo na segunda-feira (8), quando enfrenta a Ferroviária, às 19h, na Arena Fonte Luminosa

Curso de Espanhol é oferecido gratuitamente na Funtec

Fundação inicia nova turma com o objetivo de oferecer oportunidade de formação para os alunos encararem o mercado de trabalho

Rede Municipal inicia aulas on-line na próxima segunda-feira

Alunos da Educação Infantil, Ensino Fundamental, EJA e Educação Especial terão o suporte e as ferramentas necessárias para o início das atividades
- PUBLICIDADE -