InícioDiversosEsporte: herança de mãe para filhos

Esporte: herança de mãe para filhos

- continua após a publicidade -

Ser um exemplo positivo para os filhos é o desejo de toda mãe, e os hábitos de vida podem ser passados de mãe para filhos, em vários aspectos, inclusive no esporte. Essa influência acontece tanto na prática quanto na escolha da modalidade.

A triatleta Patricia Barros, apoiada pela Companhia Athletica Ribeirão Preto, é mãe de 2 filhos, Ana Maria de 25 anos e João Antônio, de 6. Ela conta que o interesse deles pelo esporte surgiu naturalmente e desde muito cedo.

“Eles vivem e convivem com minha rotina desde quando estavam na barriga. Quando eram bebês, corriam comigo no carrinho, depois eles iam de bicicleta enquanto eu corria, sempre estiveram presentes nas minhas competições, então vivem intensamente a minha rotina e de alguma forma, sinto que isso foi uma influência para gostarem de esportes”, conta Patricia que ressalta que, nunca cobrou que eles fizessem triathlon, mas sempre incentivou que praticassem alguma atividade física diariamente.

Patrícia conta que a filha mais velha corre desde os 14 anos e João Antônio, o mais novo, ama piscina e parece que vai seguir os passos da mãe no esporte, que também faz aulas de triathlon na academia semanalmente.

“Se eu deixar ele quer nadar todos os dias.  Adora um desafio e demonstra muito interesse em competir, já nas aulas é bem competitivo.  Agora começou o interesse pela corrida e também adora bike. Fica ao meu lado me imitando e quando estou devagar ele fica bravo comigo”, se diverte a triathleta.

E a situação contrária, também pode acontecer, quando os filhos inspiram as mães a praticarem alguma atividade. Foi o que aconteceu na família da empresária Karla Castro, aluna da turma de ballet adulto da Companhia Athletica. Fazer ballet sempre foi um sonho, mas como morava em uma cidade muito pequena no interior de Minas Gerais, que não tinha escola de dança, não foi possível realizar. Ela colocou suas 3 filhas, Letícia 10 anos, Malu 7 anos e Carolina 5 anos, desde pequenas para fazerem aulas de ballet e criou coragem para realizar o sonho depois de adulta.

“Comecei a fazer o ballet fitness em 2015 e no meio de 2016 criei coragem e comecei a fazer aulas de ballet clássico, pois já estava adaptada com os professores e com a estrutura. Eu sinto que elas me admiram quando me veem vestida de bailarina, principalmente a mais nova. A mais velha, que faz aulas há mais tempo, me dá até conselhos como: Nossa mãe, precisa melhorar esse grand plié hein”, conta Karla.  

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

A mãe bailarina conta que fazer a mesma atividade que as filhas as aproximou ainda mais e que viverem o mesmo universo possibilitou compartilharem mais momentos juntas como assistirem a vídeos de ballet e trocarem dicas sobre o assunto. “Estou amando realizar esse sonho que eu vi primeiro realizado através delas e agora comigo. Eu incentivo muito minhas filhas a fazerem esportes desde muito pequenas e elas gostam, hoje fazem natação, ballet, sapateado. O esporte, além de fazer bem para a criança, para o desenvolvimento dela, contribui de forma positiva para suas habilidades, seu emocional”, ressalta Karla.

De acordo com Lilian Figueiredo, gestora da área kids da Cia Athletica, os benefícios que o esporte oferece na infância são vários, como melhora no equilíbrio, na coordenação motora, na consciência corporal, na disciplina, no respeito às pessoas, na concentração e na autoestima. Ainda ajudam a desenvolver a independência da criança, a auxiliam a lidar com perdas e frustrações e ensinam a trabalhar em equipe.

“Importante que seja sempre de uma maneira equilibrada, respeitando as capacidades e as habilidades motoras de cada criança. Quando os pais também praticam, acompanham e incentivam, os resultados são ainda melhores”, comenta Lilian.

Para a triatleta Pati Barros, existem muitas maneiras de incentivar o esporte, mesmo para as mães que não são atletas, como levar os filhos para verem competições de vários esportes, natação, judô, atletismo, vôlei, basquete, corridas e claro, sempre incentivar a prática.

“Deixem eles experimentarem vários esportes até encontrar aquele que se adequa ao seu estilo. É importante ensinar que praticar esportes ou uma atividade física é natural do ser humano, que deve fazer parte da rotina diária e nunca esquecer os benefícios que o esporte traz para a saúde, sociabilidade e melhora da autoestima”, finaliza Patricia Barros.                      

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

STF julga liberação de crininosas para prender manifestantes de 8 de janeiro

Vão soltar criminosas para sobrar lugar para prender senhoras que se manifestavam dentro da constituição e acreditaram em um capitão e alguns generais

As críticas do New York Times a Moraes

O jornal norte-americano New York Times voltou a falar sobre o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Uma reportagem publicada neste domingo, 22,...

5 depredações da esquerda contra o patrimônio público

“Nunca vocês leram alguma notícia sobre um movimento ou partido de esquerda invadir o Congresso Nacional, a Suprema Corte ou o Palácio do Planalto”,...

Valor bloqueado de manifestantes sobe para R$ 18,5 milhões

A Justiça Federal autorizou hoje (21) novos bloqueios de bens de suspeitos de financiar os atos que resultaram na depredação dos prédios dos Três Poderes...

José Dirceu propõe reestruturar papel dos militares no Brasil

Militares precisam voltar para os quartéis e sair de órgãos do governo, sugere. José Dirceu de Oliveira e Silva, ex-ministro da Casa Civil de Lula,...
- PUBLICIDADE -