Início Região Pitangueiras Mudança na Farmácia Municipal de Pitangueiras e Ibitiúva é aprovada pela população

Mudança na Farmácia Municipal de Pitangueiras e Ibitiúva é aprovada pela população

Raiane de Jesus, moradora Jardim Pedro de Felício, precisou recorrer à Farmácia Municipal de Pitangueiras e Ibitiúva e aprovou a mudança do serviço, que voltou a ocupar a frente da sede da Secretaria Municipal de Saúde.
A munícipe acha que o espaço acomoda melhor o público e é mais arejado.

João Leandro Martins, do Morada do Sol, também concorda que a ventilação melhorou e é ponto forte da mudança.

Depois de breve período nos fundos daquele mesmo prédio, o serviço está funcionando regularmente desde ontem (14) em seu local original.

O Centro de Reabilitação Motora – Fisioterapia também está em processo de mudança para melhor atender o público desde a semana passada. Por esse motivo, o atendimento ao público está temporariamente suspenso.

A expectativa é que o serviço seja retomado o quanto antes for possível.

 

 

 

Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Pitangueiras e Ibitiúva

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

.

Com parte do HC fechado e forte esquema de segurança, Doriavac inicia vacinação em Ribeirão Preto

A vacinação contra a Covid-19 em Ribeirão Preto começou às 9h desta terça-feira (19), no Hospital das Clínicas, campus.

Inscrições abertas para a Good News Theology School

Escola americana de teologia abre as inscrições de curso à distância para brasileiros.

Redes de varejo e serviços investem e fortalecem o processo de recuperação da economia em Ribeirão Preto

A perspectiva de crescimento da economia em 2021 está impulsionando a ampliação e o investimento de diversas redes de varejo e serviços.

Projeto Música Criança inspira jovens dentro de casa

Alegres pelas aulas não terem sido interrompidas, estudantes confirmam progresso na música e sucesso na adaptação para o formato digital.

MP aponta sobrepreço de R$ 723 mil em compras da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo

Governo de São Paulo teria gasto mais de R$ 700 mil reais acima do valor de mercado em máscaras de proteção sem licitação.