InícioPolíticaMinistro do Turismo Henrique Eduardo Alves pede demissão

Ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves pede demissão

- continua após a publicidade -

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) pediu demissão do cargo de ministro do Turismo nesta quinta-feira (16).
A informação foi confirmada pela SIP (Secretaria de Imprensa da Presidência da República). A SIP não informou ainda os motivos que levaram ao pedido de demissão de Henrique Alves.

Henrique Eduardo Alves é o terceiro ministro nomeado pelo presidente interino, Michel Temer (PMDB), a deixar o governo. Na última quarta-feira (15), Alves viu seu nome envolvido na delação premiada do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. Segundo Machado, Alves teria recebido R$ 1,55 milhão em doações eleitorais oriundo de propina do esquema investigado pela Operação Lava Jato.

No Twitter, o então ministro chamou a delação de Machado de “leviana”.

“Repudio com veemência a irresponsabilidade e leviandade das declarações desse senhor”, disse. De acordo com o ministro, todas as doações para suas campanhas foram oficiais. “As prestações de contas foram aprovadas e estão disponíveis no TSE, conforme a lei”, afirmou.

Alves é alvo de dois pedidos de abertura de inquérito feitos pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao STF, que ainda não se pronunciou. Em um deles, a PGR pede que ele seja investigado por suspeitas de envolvimento no chamado “quadrilhão” investigado pela operação. Em outro, o foco é a relação de Henrique Alves com o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

O ex-ministro é suspeito de fazer parte do grupo de políticos do PMDB que deu suporte para que o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa continuasse no cargo em troca de propinas destinadas ao PMDB. O ministro também é suspeito de ter recebido propina do petrolão para a sua campanha ao governo do Rio Grande do Norte, em 2014.

O primeiro ministro nomeado por Temer a deixar o governo foi o senador Romero Jucá (PMDB-RR), que ocupava o Ministério do Planejamento. O segundo foi o ex-ministro da Transparência, Fiscalização e Controle Fabiano Silveira.

Os dois foram flagrados em conversas gravadas por Sérgio Machado e que integram sua delação premiada. Nos diálogos gravados pelo delator, Jucá diz que era preciso fazer um “pacto” para “estancar a sangria” causada pela Operação Lava Jato. Em outra conversa gravada, Fabiano Silveira aparecia dando conselhos ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) sobre como se defender das investigações feitas pela Lava Jato.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

“Faremos novamente uma grande festa”, garante Gusttavo Lima para região de Ribeirão Preto

Cantor sertanejo traz a turnê "Embaixador In" no dia 10 de dezembro

Em turnê dos 40 anos de carreira Roupa Nova retorna a Ribeirão Preto

A turnê de 40 anos do Roupa Nova chega a Ribeirão Preto no dia 16 de dezembro. Celebrando quatro décadas de história, o grupo...

Coletivo Proporciona realiza evento artístico na Toca do Urso

Encontro acontece na próxima sexta-feira, dia 10 de dezembro, a partir das 17h, com a exposição “Mulheres Colorado”, transmissão de documentário e show do cantor Tibless

Shopping Iguatemi Ribeirão Preto apoia campanha Natal das Crianças

Ação realizada pelo Fundo Social de Solidariedade tem como objetivo arrecadar brinquedos novos e usados, em bom estado de conservação

RibeirãoShopping e SantaÚrsula sorteiam 3 automóveis zero quilômetro e presenteiam clientes com panetone da Havanna neste Natal

De 18 de novembro a 30 de dezembro, R$ 400,00 em compras valem um número da sorte para concorrer aos prêmios, além de levar para casa um delicioso panetone recheado com doce de leite (limitado enquanto durarem os estoques)
- PUBLICIDADE -