Início Política Eleições A partir de hoje, candidatos não podem ser presos até as eleições...

A partir de hoje, candidatos não podem ser presos até as eleições de outubro

- continua após a publicidade -

A partir de hoje (17), nenhum candidato às eleições municipais marcadas para 2 de outubro pode ser detido ou preso, a não ser que seja pego em flagrante cometendo crime. A medida de proteção é garantida pelo Código Eleitoral e serve para que autoridades policiais ou judiciais não possam cometer eventuais abusos na tentativa de interferir nas disputas pelo voto.

Entre os casos que podem permitir a prisão em flagrante estão incluídos os crimes eleitorais, como a compra de votos.

Mesmo se houver prisão ou detenção em flagrante, o candidato deve ser levado imediatamente a um juiz, para que o magistrado avalie no mesmo momento a legalidade do ato.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Apesar da proteção, não é incomum que candidatos sejam presos mesmo durante este período especial de proteção, que começa a vigorar 15 dias antes de as urnas serem abertas.

Nas eleições de 2014, por exemplo, 80 candidatos foram presos somente no domingo de votação, a maior parte pela prática de boca de urna ou transporte irregular de eleitores até a seção eleitoral.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Odebrecht fez pagamentos a Toffoli, denuncia Marcelo Odebrecht à PGR

Marcelo Odebrecht e os demais diretores da empresa sempre se referiam a Toffoli como “amigo de Adriano” ou “amigo de AM (Adriano Maia)”

Gol de Bolsonaro: SBT acerta transmissão da final do carioca, Flamengo e Fluminense

O SBT alcançou a sua maior audiência na história da emissora até então com a transmissão da final da Copa do Brasil, decidida por Corinthians e Grêmio

Divirta-se com os melhores tweets do MBL tratando Ayan como um guru

Com a prisão de Luciano Ayan por suspeita de lavagem de dinheiro, separamos os melhores do tweets em que mblistas idolatram o prisioneiro.

Ribeirão Preto tem leitos sobrando na rede privada e deveria contratar com urgência

Presidente da entidade diz que hospitais de campanha são um erro estratégico e que Ribeirão Preto vive o cenário já experimentado por Manaus

Preso por lavagem de dinheiro do MBL teve cargo no governo Doria

Os presos Alessander Mônaco e Carlos A. de Moraes Afonso são investigados por ocultação de patrimônio, além de lavagem de dinheiro.
- PUBLICIDADE -