Início Lazer e Cultura Marp recebe exposição de artistas premiados no 41ª Sarp

Marp recebe exposição de artistas premiados no 41ª Sarp

- continua após a publicidade -

A partir desta sexta-feira, dia 7 de abril, começa a exposição “Premiados Sarp 2016” no Marp (Museu de Arte de Ribeirão Preto Pedro Manuel-Gismondi), que traz obras inéditas de Amanda Mei, Daniel Jablonski e Mano Penalva, os três artistas premiados no 41º Sarp (Salão de Arte de Ribeirão Preto Nacional – Contemporâneo). A exposição permanece no Marp até o dia 19 de maio.

O Marp é um espaço que incentiva a produção e difusão da cultura em Ribeirão Preto, para atingir uma representatividade cada vez mais expressiva no âmbito das artes visuais, além de projetos que visem à formação e discussão de arte, como palestras, bate-papos, workshops e acompanhamento da produção artística.

Para Nilton Campos, diretor do Marp, a exposição é um ganho que o Sarp oferece para Ribeirão Preto. “O museu tem uma agenda muito concorrida. Por isso, é importante que os artistas premiados possam ter uma data para apresentar um novo trabalho, um incentivo para a produção e difusão da cultura para a população”, afirma Nilton.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Amanda Mei

Com o tema “O homem imitando a natureza ou a natureza dominando o homem?”, a artista mostra a dinâmica dos movimentos de transformação e destruição, a ideia de progresso e sobrevivência. Estes pontos se colocam como um pacto entre o homem e a natureza seja pelo embate dos diferentes materiais (madeira, papelão e concreto) com o espaço físico, da tinta com o papel, dos visitantes com as obras ou dos meios, técnicas, conceitos e linguagens artísticas envolvidas na prática do projeto.

Daniel Jablonski

Brazil – 2017 é uma exposição individual pensada como uma única instalação, que se desdobra em muitos formatos diferentes. Em sua maior parte, ela é composta de capturas de telas de filmes estrangeiros nos quais, por alguma razão desimportante, se menciona o Brasil. A ideia é desnudar um pouco o imaginário do Brasil nas outras culturas, quando ele aparece justamente apenas como um lugar distante, sem nenhuma importância real para a trama.

Mano Penalva

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O artista explora a poesia obtida pelo deslocamento dos objetos de seu contexto cotidiano, trabalhando com diferentes mídias como pintura, fotografia, escultura e instalação. Sua produção engloba apropriações, nas quais desenvolve um estudo do objeto comum inserido na cultura, realizando uma longa coleta de artigos.

Seu trabalho traz reflexões sobre o caráter dos objetos, como eles transitam pelo mundo, as relações de troca e acordos comerciais entre países. Eles adquirem diferentes camadas de significados quando utilizados por diferentes culturas, impactando na formação dos costumes de uma sociedade.

Serviço

Exposições Individuais Simultâneas – Premiados SARP 2016

Local: Marp

Endereço: Barão do Amazonas, nº 23

Período da mostra: 7 de abril a 19 de maio

Visitação de terça a sexta-feira, das 9h às 18h, sábados e feriados (exceto segundas-feiras e domingos), das 12h às 18h

Informações: (16) 3635-2421

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Covidão: Policia cumpre 260 mandados de busca e 57 mandados de prisão por desvio da saúde

Fraude em licitações, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Adrenocromo: o que é, como é feita e toda a polêmica em torno dela

A verdade por trás de uma das substâncias mais polêmicas da atualidade

Após auxilio emergencial Bolsonaro cria renda cidadã para 2021

Bolsonaro confirma programa que vai substituir o Bolsa Família

Dia Mundial do Coração conscientiza população sobre problemas cardiovasculares

Em 29 de setembro é comemorado o Dia Mundial do Coração. Criada pela Federação Mundial do Coração com objetivo de conscientizar a população

Suicídio e depressão: questões individuais ou coletivas?

No entanto, quando a Organização Mundial da Saúde declara a depressão como o mal do século e as taxas de suicídio se elevam consideravelmente em épocas de crise e especialmente agora