Início Lazer e Cultura Marcelo Yuka, fundador da banda “O Rappa”, morre aos 53 anos

Marcelo Yuka, fundador da banda “O Rappa”, morre aos 53 anos

- continua após a publicidade -

Morreu na noite desta sexta-feira o músico Marcelo Yuka, fundador e compositor da banda “O Rappa”. Yuka, que tinha 53 anos, estava internado desde o dia 2 de janeiro, após sofrer um acidente vascular cerebral e sofria de um quadro de infecção generalizada. O ex-baterista já tinha sofrido um AVC no meio do ano passado.Nascido em 1965, Yuka foi um dos fundadores e principais compositores da banda “O Rappa”. Ele era baterista e compôs hits de sucesso, como “Minha Alma” e “Me Deixa”.

A morte de Yuka foi lamentada por músicos de vários gêneros, como Maria Rita, Marisa Monte, Fernando Badauí, vocalista do CPM 22, além dos rappers Black Alien e Emicida e o funkeiro Buchecha.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Novo viaduto “Profissionais da Saúde” exigiu investimento de R$ 385,2 mil

O novo viaduto “Profissionais da Saúde”, entregue na manhã desta sexta-feira, dia 26, pelo prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira, dentro do Programa Ribeirão...

Sabendo que a justiça vai impedir, Nogueira diz que não cumprirá rebaixamento de Doria

Os deuses do judiciário entrarão em campo e na verdade o que vai valer é o que o ditador Doria definiu, a justiça caçara a decisão do prefeito, que já tomou decisão sabendo.

“Diálogos de procuradores da Lava Jato revelam complô contra família Bolsonaro”

Em nota, O MPF, diz que a fala de procurador foi uma brincadeira entre colegas de trabalho

Doria rebaixa Ribeirão Preto e voltamos para fase vermelha com lockdown a partir das 22 horas

Onde estão os estudos que garantem que isolamento funciona, onde estão os hospitais de campanha, o dinheiro enviado pelo governo federal e vergonha na cara destes políticos?

“O DÓ” – Grávida, deputada Sâmia Bomfim relata ataques: “Já pode abortar”

Ativista e defensora da legalização do aborto e da diversidade de gênero, Sâmia sofreu com comentários como "por favor não mate."
- PUBLICIDADE -