Início Educação Projeto Social une educação e dança em quatro cidades do interior de...

Projeto Social une educação e dança em quatro cidades do interior de SP

- continua após a publicidade -

O projeto social Bom de Nota, Bom de Dança, plano anual, deu sua largada semana passada para reunir crianças, meninos e meninas, de 7 a 12 anos, em torno de algo em comum: a dança.

Mais de 700 crianças serão atendidas pelo BNBD, que conta com cinco núcleos, um na cidade de Batatais, um em Descalvado, um em Lins e dois em Serrana. Cada núcleo possui, aproximadamente, 140 alunos, cuja realidade é transformada a partir da dança

O programa oferece as modalidades de balé e danças urbanas, gratuitamente, às crianças matriculadas nas escolas conveniadas ao projeto. A iniciativa busca levar aos alunos uma nova perspectiva de mundo. Incentivando e integrando-os, tanto nos estudos, como na dança.

Segundo a coordenadora do BNBD, Mariana Souza, o impacto na vida das crianças é visível e bastante positivo.

“Trabalhamos com uma metodologia de controle de talentos, incentivando a frequência escolar, o comportamento, o respeito, a solidariedade e a cooperação”, afirma.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Para não atrapalhar o rendimento dos alunos nos estudos, as aulas acontecem sempre em contraturno escolar, para não atrapalhar os estudos dos alunos, colocando a dança como extensão do aprendizado em sala de aula.

“Tudo é pensado para que os alunos se desenvolvam e cresçam. Não só na dança, mas como cidadãos”, ressalta Lívia Mariussi, assistente social. Todo o material, uniforme e lanche são oferecidos às crianças participantes do BNBD.

Estimular esses jovens cidadãos a mudar de realidade, utilizando a expressão corporal como ferramenta, é mais uma das características do projeto.

Com patrocínios da Usina Batatais, Usina Lins, Usina Ipiranga e Usina da Pedra, o Projeto, organizado desde o início de 2017, é um plano anual via PRONAC (Programa Nacional de Apoio à Cultura), com o objetivo e missão de levar e fomentar a cultura nessas cidades, em parceria com a educação.
Aliás, ainda dá tempo de participar do projeto BNBD. Há vagas abertas nas turmas de balé e danças urbanas.

Para mais informações, confira o serviço de cada núcleo em suas respectivas cidades:

Batatais
Rodolfo Tarso (Ass. de coordenação)
Balé e Danças Urbanas: EMEIEF Prof. Gilberto Dalla Vecchia – CAIC
Rua Cel. Joaquim Marques, 1260

Descalvado
Luana Romanello (Ass. de coordenação)
Balé e Danças Urbanas: EMEF Dirce Sartori Serpentino
Rua Rio de Janeiro, 563

Lins
Mauro Ladeia (Ass. de coordenação)
Balé: EMEF Prof. Gessy Martins Beozzo
Rua Irmã Ruth da Costa, 220
Danças Urbanas: EMEF João Alves da Costa
Rua José Nunes da Silva, 255

Serrana (Núcleos Serrana Rosa e Serrana Verde)
Elisângela Kiche (Ass. de coordenação)
Balé: Escola Elizabeth Sahao
Rua Deputado João Cunha, 285
Danças Urbanas – Escola Jardim Dom Pedro I
Avenida Arsênio Ramos Martins, 151

Josiane do Valle (Ass. de coordenação)
Danças Urbanas: Escola Maria Celina Walter de Assis
Rua Antônio Honório Ribeiro, 895
Balé: Escola Edésio Monteiro de Oliveira
Rua Roraima, 92

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

Com verba da Covid prefeitura antecipa 13º salário de aposentados e servidores

No total, a remuneração mensal dessas pessoas atinge a casa dos R$ 120 milhões mensais.

Abertura de escolas e contratação de professores movimentam rede municipal

Até o final do ano, mais 11 unidades escolares serão entregues para a população; R$ 40 milhões foram investidos em 15 novas escolas

Agendamento de vacina contra Covid em idosos com 65 e 66 anos será aberto nesta terça-feira, dia 20

Serão disponibilizadas 11.160 vagas; vacinação acontecerá na quinta e sexta-feira, nos dias 22 e 23 de abril

Botafogo empata com o Palmeiras no Santa Cruz

Com o resultado, o Tricolor completou o terceiro jogo de invencibilidade e agora soma seis pontos. Assim, o Pantera ocupa a 12ª colocação

Parede falsa escondia respiradores novos em hospital dizem funcionários

Em Ribeirão Preto menos de 1% do dinheiro enviado pelo gov. Federal foi usado, estados com respiradores comprados em adega, e proibição do tratamento precoce. A morte é um grande negocio.
- PUBLICIDADE -