InícioEconomiaSupermercados do Estado de São Paulo contrataram mais do que demitiram

Supermercados do Estado de São Paulo contrataram mais do que demitiram

- continua após a publicidade -

Um levantamento feito pela APAS – Associação Paulista de Supermercados mostra que, no mês de maio, o número de contratações superou o total de demissões no setor de supermercadista do Estado de São Paulo. Com base nas informações oficiais do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a entidade contabilizou 18.961 admissões contra 18.085 desligamentos nos estabelecimentos comerciais de atacado e de varejo, abrangendo pequenos mercados, supermercados e hipermercados.

O resultado da equação entre o número de admissões e o volume de desligamentos no quinto mês do ano, representa alta de 0,17% em relação a abril e variação de -0,50% nos últimos 12 meses. “É o melhor resultado desde o início do ano”, analisa o gerente de economia e pesquisa da APAS, Rodrigo Mariano.

De acordo com o levantamento feito pela entidade, o setor supermercadista, atualmente, emprega mais de 510 mil pessoas em todo o estado e vem apresentando uma queda gradativa no número de demissões. “Temos um indicador de que há uma desaceleração do desemprego no setor supermercadista paulista. Isso, na conjuntura de crise, é muito importante para chegarmos a níveis estáveis de emprego”, explica Mariano.

Historicamente, o segmento possui demanda elevada por mão-de-obra qualificada. Há áreas que são mais carentes, como a operacional que inclui açougue, padaria, entre outras, colaborando para a manutenção do emprego na atividade.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

O aumento do número dos mercados de vizinhança, categoria de estabelecimento que em 2015 foi responsável por 48% do crescimento do setor supermercadista, é outro evento que traz perspectivas positivas de empregabilidade. Cada pequeno mercado emprega em média 15 pessoas, segundo a APAS.

Na contramão do comércio

O desempenho do setor de supermercados no Caged contraria o comércio como um todo. Quando computadas todas as atividades do comércio, o Estado de São Paulo apresentou mais demissões (381.932) do que contratações (369.755) e encerrou o mês de maio com saldo negativo de 12.117 postos de trabalho encerrados. A participação dos supermercados e hipermercados no total de desligamentos registrada em toda a atividade comercial paulista foi de apenas 5%.

Nota Metodológica: A Pesquisa de Emprego dos Supermercados apura mensalmente o comportamento do emprego no setor supermercadista através de dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego. São coletados dados sobre a Admissão, Demissão, Saldo Mensal e Saldo Total de funcionários ligados à atividade supermercadista, e os indicadores apontam a evolução e o comportamento do setor ao longo do tempo

Sobre a APAS – A Associação Paulista de Supermercados representa o setor supermercadista no Estado de São Paulo e busca integrar toda a cadeia de abastecimento. A entidade tem 1.340 associados, que somam mais de 3.036 lojas.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

O Papa Francisco critica a prática de tratar Pets como filhos

O papa Francisco fez um apelo, nesta quarta-feira, para que pais e mães adotem crianças, e disse que “vivemos uma época de orfandade notória”.

Depois de vacinação em massa Serrana tem recorde de casos desde o inicio da pandemia

Se após 3 doses a cidade tem números maiores do que antes da vacinação, para o que serviu a vacina? Doria garantiu.

Aluno de academia morre por mau súbito.

As UPAs lotadas com gripe e corona depois de picada em massa, agora já estamos com uma pandemia pouco falada, mas será com frequência. Os efeitos.

IBGE oferece 266 mil oportunidades de emprego até 21 de janeiro

Agentes recenseadores deverão visitar 78 milhões de lares brasileiros Cerca de 78 milhões de residências brasileiras devem receber, a partir do dia 1º de agosto,...

Auxílio Brasil começa a ser pago nesta terça-feira

O custo para os pagamentos supera R$ 7,1 bilhões aos cofres do governo federal
- PUBLICIDADE -