Início Economia Arrecadação de impostos federais volta a mostrar recuperação

Arrecadação de impostos federais volta a mostrar recuperação

- continua após a publicidade -

O Boletim Termômetro Tributário do CEPER/FUNDACE, que auxilia na compreensão do comportamento da economia em níveis nacional, estadual, regional e municipal, aponta recuperação lenta na arrecadação de impostos federais e redução do ritmo de queda em nível nacional. O boletim, que traz os dados mais recentes disponibilizados pela Receita Federal, analisa o desempenho da arrecadação até janeiro de 2017 em comparação com o mesmo mês de 2016 e também apresenta comparações dos últimos doze meses (fevereiro de 2016 a janeiro de 2017) com os doze meses anteriores.

A comparação entre janeiro deste ano com o mesmo mês de 2016 mostra evolução na arrecadação no Estado de São Paulo, Região Administrativa de Ribeirão Preto e no município em 0,8%, 5,3% e 9,3%, respectivamente. Apenas no cenário nacional a arrecadação segue em queda, mas em ritmo menor do que vinha apresentando, com redução de 0,2% no total de impostos arrecadados.

Quando a comparação é com os 12 meses anteriores (fevereiro de 2016 até janeiro de 2017 em comparação com fevereiro de 2015 com janeiro de 2016), os números ainda mostram a dificuldade de recuperação. No Brasil e no Estado de São Paulo, houve queda de arrecadação de 1,3% de 3,4%. Já nos municípios da Região Administrativa de Ribeirão Preto, houve aumento de 0,7% e no município, ficou estável.

Em Ribeirão Preto, as rubricas que mais ampliaram arrecadação na comparação entre janeiros foram Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL), com aumentos de 13,9%, 12,9% e 18,4%,  respectivamente. Já na região, se destacaram o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), com 29,6% de aumento, e o IRRF, com alta de 26,2%. O acumulado dos últimos 12 meses também mostra destaque para IRRF, CSLL e IRPJ em Ribeirão Preto, enquanto a região teve aumento no IRRF e IPI.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

De acordo com o coordenador do boletim, o economista e pesquisador do CEPER/Fundace Sérgio Sakurai, a queda da arrecadação segue motivada pela retração econômica e por fatores que impactam pontualmente as rubricas. “Segundo a Receita Federal, as quedas na arrecadação de Cofins e do PIS/Pasep tiveram forte influência da queda de 6,75% do volume de vendas e 5,72% no volume de serviços”, afirma Sakurai, que também é professor doutor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da USP. “Também teve impacto negativo direto a redução da taxa média de câmbio em relação ao aumento no volume de importações no primeiro mês de 2017”, complementa ele.

Os dados da Receita Federal apontam ainda que a redução na arrecadação do imposto sobre importações foi resultado da elevação de 18,82% no volume das importações combinado com a redução de 21,12% na taxa média de câmbio.

Dentre as rubricas que tiveram aumentos em janeiro de 2017, o CSLL se deve à estimativa de crescimento real de 21,09% na arrecadação recolhida por empresas do setor financeiro. A outra rubrica que apresentou melhora, o IRRF, reflete um aumento de 12% no IRRF – Rendimento de Residentes no Exterior, de 6,25% no IRRF-Rendimentos do Trabalho e de 3,33% no IRRF – Rendimentos de Capital.

O Boletim Termômetro Tributário pode ser acessado no site da Fundace neste do link: https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201703_00279.pdf 

Ceper – O Centro de Pesquisa em Economia Regional foi criado em 2012 e tem como objetivo desenvolver análises regionais sobre o desempenho econômico e administrativo regional do País. Sua criação reúne a experiência de diversos pesquisadores da FEA-RP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto) da Universidade de São Paulo em pesquisas relacionadas ao Desenvolvimento Econômico e Social em nível regional, a análise de Conjuntura Econômica, Financeira e Administrativa de municípios e Gestão de Organizações municipais, entre outros. A iniciativa de criação do Centro foi dos pesquisadores Rudinei Toneto Junior, Sérgio Sakurai, Luciano Nakabashi e André Lucirton Costa, todos da FEA-RP/USP. Os Boletins Ceper têm o apoio do Banco Ribeirão Preto, Stéfani Nogueira Incorporação e Construção, São Francisco Clínicas, Citröen Independance e CM Agropecuária e Participações.

Fundace – A Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Fundace) é uma instituição privada sem fins lucrativos criada em 1995 para facilitar o processo de integração entre a FEA-RP e a comunidade. Oferece cursos de pós-graduação (MBA) e extensão em diversas áreas. Também realiza projetos de pesquisa in company além do levantamento de indicadores econômicos e sociais nacionais regionais.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
.
publicidade

República Tcheca autoriza o uso da ivermectina no combate da covid-19

Esta semana publicamos que o Japão também autorizou uso do medicamento para a mesma finalidade. Link na matéria

Em breve na cidade de Serrana não ocorrerá mais casos de Covid

Até sábado (6), 17.968 voluntários receberam doses pela penúltima fase do estudo, que segue neste domingo (7).

Dia Internacional da Mulher: Exames que toda mulher precisa fazer

O Dia Internacional da Mulher lembrado em 8 de março é importante para celebrar as lutas, conquistas e méritos das mulheres de todo o mundo.

Pararam tudo menos os impostos, taxas publicas, alugueis, pedágios, multas

Durante um ano brincaram com a população com abre e fecha, quando em Ribeirão nem tínhamos casos. Onde estão os hospitais de campanha e o dinheiro que o governo federal enviou?

Governo suspende recursos da Lei Rouanet para estado com restrição

Medida publicada nesta sexta (5) prevê que não serão analisados recursos de eventos que envolvam interação com o público, uma vez que tudo esta proibido
- PUBLICIDADE -