Início Cidades Campus do IFSP na Cianê está parada há 2 anos em Ribeirão

Campus do IFSP na Cianê está parada há 2 anos em Ribeirão

- continua após a publicidade -
Após solenidade de ‘entrega’, concessão de terreno ainda não foi finalizada. Obras, hoje inexistentes, estavam previstas para começar no fim de 2014.

E nós acreditamos

Em julho de 2014, a Prefeitura de Ribeirão Preto (SP) realizou uma solenidade em que anunciou a entrega do documento de cessão de um terreno onde funcionou a fábrica Cianê-Matarazzo para a construção de uma unidade do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo (IFSP).

02 Anos de promessa parece coisa de políticos

O processo de concessão da área ainda não foi finalizado e o impasse mantém o local abandonado na zona norte.

Segundo informações divulgadas pelo município na época, o terreno de 40 mil metros quadrados no bairro Campos Elíseos – onde hoje ainda se vê o que restou da estrutura da fábrica de tecidos, desativada há 35 anos às margens da Avenida Marechal Costa e Silva e alvo de um incêndio em 2011 – foi destinado como futura base de um campus do IFSP, com cursos gratuitos de nível médio, técnico e superior e formação anual de 1,2 mil alunos.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

As obras estavam previstas, até então, para serem iniciadas em dezembro de 2014 com recursos federais da ordem de R$ 27 milhões.

Abandonados

E frequentados por usuários de crack, os 39 mil metros quadrados dos antigos barracões da fábrica das Indústrias Reunidas Matarazzo, que funcionou de 1945 a 1981, hoje trazem tristeza para milhares que moram nas imediações e fizeram sua vida profissional neste local, por outro lado e preocupação por abrigar moradores de rua e viciados.

Para complicar ainda mais, o local tem em frente um ponto de embarque de ônibus intermunicipal, foram os ônibus urbano.

O espaço esta ainda entre dois supermercados e próximo a um hospital.

A culpa não é de ninguém

O IFSP alega que o processo de cessão do terreno depende de trâmites na Prefeitura e que, mesmo diante da doação, o cronograma de instalação deva ser reavaliado devido a questões financeiras. Por outro lado, a Prefeitura informa aguardar um representante do instituto para concluir o acolhimento do espaço.

Entenda o caso.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Lei complementar 2.665 na Câmara, foi sancionada, garantindo a doação do espaço ao IFSP.

O mesmo texto, no entanto, estabelece prazo máximo de quatro anos – ou seja, até 2018  para o instituto iniciar o funcionamento da unidade, sob pena de a “doação ser unilateralmente rescindida pela doadora.”

Desde então, a criação do campus permanece na promessa. Fechado por um alambrado na Avenida Marechal Costa e Silva e sem qualquer placa com menção à iniciativa, o terreno acumula mato e permanece sem obras.

Prejuízos para todos

Comerciantes da região alegam que o abandono continua a atrair usuários de drogas, e que o acesso é possível por meio de um buraco aberto no muro em outro lado do terreno, às margens da Avenida Eduardo Andrea Matarazzo, a Via Norte

IFSP
Informou ainda que tem interesse em ampliar sua rede pelo Estado, mas que, mesmo após a conclusão do procedimento de cessão da antiga Cianê, o tempo para instalação do campus universitário deva ser revisto.

“Devido ao impacto orçamentário a que estamos sendo submetidos em 2015/2016, é muito provável que, mesmo definida a cessão/doação por parte da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto, tenhamos que reavaliar prazo final de instalação.”

 

 Prefeitura diz que doou mas estado não assumiu
Por intermédio de sua assessoria de comunicação, a Prefeitura de Ribeirão Preto informou que a doação da área foi feita, mas que o acolhimento do terreno precisa ser efetivado com a presença de um representante legal do instituto.

O departamento de imprensa da administração municipal comunicou ainda que o IFSP já foi notificado a comparecer para a finalização do processo, mas não detalhou quando isso aconteceu.

O instituto federal não falou a respeito da notificação citada pela Prefeitura.

Agora um aviso da redenção:
vamos ao encalço da administração municipal, vereadores, deputados estaduais e federais e vamos buscar respostas e entender e esclarecer onde esta o problema.

 

Em breve mais informações por aqui.

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Se­gre­gação: Ma­ga­zine Luiza só contratará ne­gros

Imagine uma loja dizendo “não contratamos negros, apenas brancos”. Isso é crime!, lei 7.716/89 art. 4º,§ 1º.

Lives do final de semana (19 e 20 de setembro)

Os shows presenciais e casas noturnas ainda estão proibidas, então a opção e separar a bebida e os petiscos e escolher a melhor opção

Nasce o Aliança o partido de Bolsonaro

Confira os documentos de petição e despacho. Vem ai o partido de direita que a esquerda tanto teme.

Hospital de Câncer de Ribeirão Preto inicia campanha para compra de novo mamógrafo

Equipamento atual tem mais de 10 anos e precisa de constantes manutenções que tem alto custo

Quais interesses estão em jogo? Lincoln Fernandes é mais um a desistir da prefeitura

Algo estranho e forças ocultas estão agindo nos bastidores, normalmente a luta é para ser candidato, mas este ano vários abandonam o barco. A pergunta é quais interesses?