Início Blogs DSOP Educação Financeira Como declarar compra de imóvel no imposto de renda?

Como declarar compra de imóvel no imposto de renda?

- continua após a publicidade -

“Essa preocupação se justifica, sendo que os dados, se inseridos de forma incorreta, pode levar o contribuinte à malha fina. A primeira coisa a ser feita para declarar corretamente é o de levantamento de dados. Assim, separe os documentos comprobatórios da aquisição do referido imóvel, tais como: compromisso de venda e compra de imóvel e/ou escritura de venda e compra de imóvel; comprovantes de pagamento, inclusive de financiamentos realizados; contratos de financiamento, demonstrando o quanto de FGTS fora utilizado para amortização do saldo devedor”, explica Richard Domingos, diretor tributário da Confirp Consultoria Contábil.

Para elucidar possíveis dúvidas, a Confirp elaborou um roteiro de como fazer a declaração da compra de imóveis:

Após a obtenção de toda documentação, o contribuinte deverá abrir sua declaração no programa da Receita Federal e lançar na FICHA DE BENS E DIREIROS as informações:

  1. Código do bem (01 para prédio residencial; 02 Prédio comercial; 03 para Galpão; 11 para apartamento; 12 para terrenos; 14 para terra nua; 15 para salas ou conjuntos; 19 para outros bens imóveis).
  2. Pais onde está localizado o imóvel
  3. Discriminação deve conter:
    1. Tipo do imóvel,
    2. Endereço,
    3. Número de Registro (matricula, por exemplo),
    4. Data e forma de aquisição,
    5. Nome ou Razão Social do Vendedor, com CPF ou CNPJ destacado;
    6. Informações sobre condôminos (caso seja comprado em conjunto com outra pessoa física ou jurídica);
    7. Informações sobre usufruto (se for o caso);
    8. Valor pago no período (destacar valores totais no ano por evento e receptor);

Ponto muito importante é que no campo “Situação em 31/12/2015”, se o bem foi adquirido até essa referida data, deverá transportar o saldo da Declaração de Imposto de Renda do ano de 2016 ano, base 2015.

Primeira vez que declara imóvel

Se for a primeira declaração do contribuinte, será necessário deverá “somar” os valores pagos até antes de 2016 (inclusive valores pagos de impostos de transmissão (ITBI), benfeitorias realizadas no período, parcelas pagas a título de financiamentos, amortizações com saldo do FGTS, parcelas pagas ao antigo proprietário, etc) e declarar também nessa coluna. Caso o bem tenha sido adquirido durante o ano de 2016, deixar esse campo com saldo “zero”.

- CONTINUA DEPOIS DE PUBLICIDADE -

Já no campo “Situação em 31/12/2016”, serão lançados os valores pagos para aquisição do imóvel até o fim de 2016, sendo o saldo inicial o de 2015. Caso tenham sido feitos, também lançar os valores pagos em 2016 de impostos de transmissão (ITBI), benfeitorias realizadas, parcelas pagas a titulo de financiamentos com instituições financeiras, parcelas pagas ao antigo proprietário, amortizações com saldo do FGTS em 2015, dentre outros valores.

Lembrando que não se deve pagar imposto de renda na aquisição de imóveis. O único imposto que incide é o ITBI – Imposto de Transmissão de Bens Imóveis “Inter Vivos”, que geralmente são cobrados juntamente com a lavratura da escritura de venda e compra do imóvel para ser levado a registro público.

Também é relevante apontar os principais erros relacionados a declaração desse bem:

  1. Não relacionar na declaração os imóveis pertencentes a dependentes;
  2. Atualizar o imóvel com o valor de mercado. Esses devem ser declarados com base no preço pago (para o vendedor, para a financeira, impostos de transmissão, benfeitorias, reformas e ampliação), não é admitido atualização do valor do imóvel.
  3. Quando a DIRPF é feita em separado do cônjuge, e o referido bem tenha sido adquirido durante a sociedade conjugal, ou o regime de casamento do casal seja comunhão universal de bens, os bens do casal deverão figurar em uma das duas declarações (assim como os demais bens e direitos);
  4. Quando a aquisição do imóvel é financiada e o bem é dado como garantia (alienação fiduciária), o valor do bem a ser lançado são as somas das parcelas pagas ao longo do período, não só para o vendedor, mas também para a financeira, além dos impostos de transmissão e benfeitorias. Não devendo lançar o saldo devedor na FICHA DE DIVIDAS E ONUS REAIS.
- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Veja mais notícias de Ribeirão Preto e Região no Em Ribeirão

publicidade
publicidade

Crime: Doria diz que vacina chinesa pode ser aplicada mesmo sem aval da Anvisa

O Instituto Butantan não entregou o resultado de nenhuma fase de pesquisa clínica com seres humanos para a Anvisa.

Hard Rock Cafe Ribeirão Preto traz objetos icônicos de artistas em exposição permanente

Entre os destaques estão instrumentos musicais originais de bandas como Pearl Jam, Kiss, Paul McCartney e Deep Purple

Investimento de R$ 19,7 milhões para o Programa Dinheiro Direto na Escola na região de Ribeirão Preto

Transferência de recursos às escolas para o ano letivo de 2021 vai ocorrer sob novos critérios como área construída e índice de vulnerabilidade

Diego Maradona um gênio que brincou com a bola e com a vida

Maior jogador da história do futebol argentino, Diego Armando Maradona morreu nesta quarta-feira (25) aos 60 anos.

Deputados apresentam projeto para suspender a extensão da quarentena

Deputada Leticia Aguiar e Grupo PDO protocolou Projeto de Decreto Legislativo sustando o decreto do Governador João Doria (PSDB)