Home » Diversos » Culinaria » Governador assina nesta terça-feira a implantação do segundo Bom Prato em Ribeirão

Governador assina nesta terça-feira a implantação do segundo Bom Prato em Ribeirão

Prefeito de Ribeirão Preto participa da assinatura de criação do restaurante que será instalado nas proximidades do Hospital das Clínicas

Na tarde desta terça-feira, dia 24 de outubro, às 17h, o prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira, participa de solenidade no Palácio dos Bandeirantes, onde o governador Geraldo Alckmin assina o autorizo para a implantação do segundo restaurante Bom Prato em Ribeirão Preto.

A nova unidade do Bom Prato será instalada nas proximidades do Hospital das Clínicas, uma reivindicação antiga dos pacientes e familiares que frequentam o hospital todos os dias e precisam de alimentação. O restaurante, com subsídio do governo estadual, oferece alimentação balanceada a R$ 1,00 o prato.

“O governador Geraldo Alckmin já confirmou a implantação de um segundo Bom Prato na cidade e está assinando o autorizo para que possamos dar sequência na sua instalação. Será um grande benefício às famílias, principalmente da região e até de cidades distantes, que às vezes passam o dia todo no local por ter que aguardar transporte para suas cidades”, afirmou Nogueira.

Hoje, a unidade do Bom Prato de Ribeirão Preto, localizado na Rua Saldanha Marinho, nº 765, é gerenciada pela Associação Espírita Casas de Betânia e serve 1.750 refeições por dia no almoço e 300 no café da manhã. Desde sua inauguração, em novembro de 2005, o Bom Prato de Ribeirão Preto já serviu mais de 4,6 milhões de refeições.

A capacidade inicial de atendimento do novo Bom Prato será de 1.200 refeições por dia. Para a manutenção do restaurante, o governo do Estado de São Paulo e a prefeitura de Ribeirão Preto mantêm subsídio de R$ 3,19 por refeição.

foto – arquivo pessoal

Bom Prato

O Bom Prato foi criado em 2000 pelo governo do Estado de São Paulo e oferta alimentação balanceada e de qualidade, com foco na população de baixa renda, idosos e pessoas em situação de vulnerabilidade social. O almoço custa R$ 1,00 e o café da manhã, R$ 0,50.

Atualmente, há 52 unidades no Estado, sendo 22 localizadas na Capital, nove na Grande São Paulo, seis no litoral e 15 no interior. O programa serve diariamente mais de 85 mil refeições e, desde a inauguração, já serviu mais de 188 milhões de refeições.

No almoço, o cardápio é composto por arroz, feijão, salada, legumes, um tipo de carne, farinha de mandioca, pãozinho, suco e sobremesa (geralmente uma fruta da época), com cerca de 1,2 mil calorias.  Em setembro de 2011, o café da manhã foi implantado em todos os restaurantes, oferecido leite com café ou achocolatado ou iogurte, pão com margarina, requeijão ou frios e uma fruta da estação, com cerca de 400 calorias.

Comente

Deixe uma resposta