Home » Diversos » Culinaria » Alimentação saudável na rotina das crianças, sim!

Alimentação saudável na rotina das crianças, sim!

No dia a dia, o hábito alimentar adequado deve ser estimulado e planejado

Criatividade e planejamento são as palavras de ordem para os pais que buscam uma solução para tornar mais simples a hora da refeição dos pequenos. Para a nutricionista Bruna Pavão, com mais de cinco anos de experiência na área de consultoria, uma prática imprescindível é manter a rotina alimentar, para estimular o consumo de alimentos saudáveis e ricos em nutrientes, e a tarefa não precisa ser árdua.

Montar um cardápio, além de abastecer a despensa com uma série de lanches práticos, é uma das alternativas que podem ser usadas para conciliar a rotina profissional aos cuidados familiares. “É comum alguns pais se queixarem da falta de tempo para oferecer lanches mais saudáveis, mas esse fator não deve impactar a qualidade da alimentação. Inclusive aos finais de semana, a rotina deve ser mantida”, orienta a nutricionista.

De acordo com Bruna, já existem no mercado diversas opções de lanches prontos e saudáveis. A dica de ouro é saber interpretar os rótulos. Nem sempre um produto que destaca conter mais fibras ou é denominado integral realmente segue à risca na composição, então, é preciso conferir as informações nutricionais. Observar a ordem dos ingredientes listados na embalagem é determinante. Por exemplo, para ser considerado realmente integral, esse tipo de farinha deve entrar em primeiro lugar na relação.

No entanto, mesmo com o aumento da oferta de produtos com menos sódio, gordura e açúcar, os pais ainda comentem erros. “Suco de caixinha é um dos alimentos que as crianças mais consomem, porque os pais acham que são uma excelente opção, que estão trocando o refrigerante por algo saudável, e não é o caso. Muitas vezes, o produto não tem nem a fruta informada no rótulo”, reforça a profissional.

Como infância e brincadeiras são quase sinônimos, o gasto energético das crianças costuma ser alto, o que interfere na hidratação. Sorvetes naturais de frutas são recursos práticos para repor o líquido perdido e bem aceitos por esse público. A receita é simples: basta bater a fruta congelada no liquidificador (preferencialmente com banana ou frutas vermelhas) para conferir a cremosidade, escolher a apresentação, levar ao congelador e pronto, aproveitar.

 Saúde e praticidade

Incluir as oleaginosas no cardápio é outra sugestão que atende à demanda por saudabilidade e praticidade. “São fontes de gordura boa, oferecem saciedade e são coringas”, enaltece Bruna.

Renato Feliz, Vice-Presidente de Vendas, Operações e Marketing da Santa Helena, destaca que o amendoim vem ganhando espaço dentre os produtos saudáveis. “Ele é muito democrático, pode ser consumido in natura e compõe diversas receitas. Ainda, tem um preço mais acessível em comparação às castanhas, e é popular tanto no Brasil como no exterior. Para a dieta, é fonte de Selênio, Ômega-3 e favorece a elevação do colesterol bom”, diz.

Dados da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (ABICAB) apontam que 78% da população não passa mais de 15 dias sem consumir o grão, além disso, 52% das pessoas têm o hábito de consumir o alimento como um lanche da tarde.

A força do mercado aparece nos resultados da Santa Helena, que é uma das maiores indústrias do ramo na América Latina. Em 2017, por exemplo, a empresa conseguiu aumentar a receita líquida em 8,4% em função do ingresso no mercado de amendoim in natura, fato que proporcionou uma expansão de quase 225% na atuação internacional da fabricante.

Dentre as diversas opções de consumo, as oleaginosas podem ser oferecidas em um mix de castanhas. Com amendoim, flocos de arroz, açúcar demerara ou mel e nibs de chocolate meio amargo, por exemplo, dá para fazer uma granola caseira, que pode ser usada na salada, para dar um tempero agridoce; com frutas; leite; e até virar uma barra de cereais nutritiva.

 

“O importante é que a dieta seja variada e que os alimentos sejam apresentados em preparos diferentes, sempre com a orientação de um profissional, de acordo com as atividades e a rotina das crianças”, explica a nutricionista. Amendoins e castanhas podem ser inseridos na rotina dos pequenos desde o momento em que estiverem aptos à mastigação. A quantidade é relativa ao histórico de cada indivíduo; se faz exercícios físicos e em qual intensidade.

O comportamento dos pais também reflete no das crianças, portanto, vale ponderar a própria conduta. “Mais do que falar e incentivar, é preciso fazer. Comer corretamente, sem pular refeições, estabelecer horários. Se os pais têm uma vida saudável, é provável que essa criança queira manter essa mesma rotina”, esclarece Bruna.

Sobre a Santa Helena

Reconhecida pela qualidade de seus produtos há mais de 75 anos, a Santa Helena é, hoje, uma das principais indústrias de amendoim da América Latina. O portfólio da marca é diversificado e inclui campeões de vendas, como Paçoquita e Mendorato, além das linhas de Snacks, composta por produtos como Troféu e Crokíssimo, e de alimentação saudável com as marcas Cuida Bem e First.

Além de levar o melhor do amendoim para todo o Brasil, desde 1997 a Santa Helena exporta seus produtos para mercados extremamente competitivos, como Europa, Ásia e América Latina.

Em busca de superar as expectativas de seus consumidores, a empresa faz da inovação uma constante, investe assiduamente na otimização de processos, na qualificação dos colaboradores e no controle de qualidade.

Com um complexo industrial localizado no interior paulista, em Ribeirão Preto, a Santa Helena conta com um time de, aproximadamente, 1.300 colaboradores. Para saber mais, acesse: www.santahelena.com.

Comente

Deixe uma resposta