Home » Cidades » Saude » Segundo Estenio vivemos a maior epidemia da historia

Segundo Estenio vivemos a maior epidemia da historia

Foram 24 mil registros da doença até o fim do mês de março; incidência do vírus está entre as piores do País

Recorde

Os números atualizados nesta sexta feira (01) o secretario da saude de Ribeirão Preto divulgou, que batemos recorde e somo a segunda cidade do Brasil, pena que estes numero não são positivos, muito pelo contrario, mostram a situação vergonhosa da cidade.

Segundo boletim do ministério da saúde Ribeirão Preto é a cidade com o maior numero de casos entre os municípios com ate 999 mil habitantes.

A maior epidemia havia acontecido em 2011.

Em Marco de 2016 teve um aumento de mais de 800% se comparado com março de 2015.

Em apenas dois meses e meio, Ribeirão Preto já confirmou 24.476 casos de dengue neste ano, ou em média 326 por dia, segundo boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde nesta sexta-feira (1º).

Zica e chikungunya

Já os casos suspeitos de zika chegaram a 4.241, dos quais 642 em gestantes que apresentaram manchas vermelhas no corpo e foram submetidas a exames laboratoriais. Outra preocupação na cidade é com o avanço dos registros de chikungunya.

As três doenças são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

É assustador.

A epidemia de dengue teve, só nos primeiros 15 dias de março, a confirmação de 4.344 novos casos na cidade.

No caso do vírus zika, das 642 gestantes submetidas a exames apenas 108 conhecem os resultados até agora.

Desse total, 83 confirmaram a doença e só 25 foram descartados, o que indica um índice de confirmação de 77% das suspeitas.

Foram 99 suspeitas em janeiro, 327 em fevereiro e 216, na primeira quinzena de março. Não há registro de nascimento de bebês com microcefalia.

O secretário da Saúde de Ribeirão, Stenio Miranda, disse acreditar que para cada caso de dengue confirmado há um de zika em toda a cidade.

Segundo Miranda, muitas pessoas não procuram os serviços de saúde e há casos em que os sintomas da doença são classificados como dengue.

A análise é feita por diagnósticos clínicos dos médicos que atendem os pacientes.

Apesar do avanço no total de confirmações de dengue, a Secretaria da Saúde de Ribeirão afirma que há uma redução gradual no total de novos casos e, por isso, o polo de atendimento exclusivo a vítimas da doença não funcionará mais 24 horas por dia.

O total de casos suspeitos de dengue chega a 46.025 na cidade.

A semana com o maior número foi a de 7 a 13 de fevereiro, com 5.645.

Desde então, há uma queda gradual nas notificações, que chegaram a 1.948 entre os dias 20 e 26 de março.

Apenas das 7h as 22h

De acordo com a pasta, a partir de segunda-feira (4), o polo funcionará das 7h às 22h.

Se o ritmo do avanço da epidemia de dengue está menor, não se pode dizer o mesmo da chikungunya. A cidade, que teve dois casos importados confirmados no ano passado, já confirmou cinco neste ano e tem 116 suspeitos no total.

Ribeirão Preto teve ainda segundo a secretaria da saúde 2 casos de morte por A1N1
Não tivemos nenhum caso de Microcefalia.

Outro numero preocupante é o de caso de gestantes com zica, foram confirmados 83 casos e 25 caso já foram descartados.

Comente

Deixe uma resposta